A Pele no Inverno

A Pele no Inverno

A tendência no inverno é a pele ser mais atingida por variações térmicas. Nessa época, é comum nossa pele apresentar áreas ressecadas que chegam a apresentar rachaduras e, em alguns casos, até sangramento. Quem tem rugas tende a sofrer um pouco mais nessa época do ano porque elas aparecem mais, devido ao ressecamento natural da pele no período de frio. Portanto, a maior preocupação que se deve ter com a pele durante o inverno é em hidratar a epiderme, a camada mais superficial da pele.
A hidratação da pele se dá por via interna e externa. A interna acontece quando o suor, constituído por água e sais minerais, atravessa as várias camadas da pele, chegando à epiderme. A externa se dá quando introduzimos água, por meio de produtos farmacêuticos e cosméticos, nas camadas mais externas da pele.
No verão, as altas temperaturas fazem com que o corpo produza mais suor, levando água das camadas mais profundas para a epiderme, mantendo a pele sempre hidratada. No inverno, a produção de suor diminui e o corpo deixa de contar com esta alternativa de hidratação, sendo fundamental usar hidratantes.
Para que hidratante cumpra seu papel, a pele tem que estar limpa, portanto, a atenção neste quesito deve ser redobrada, mas é preciso prestar atenção para que a limpeza exagerada não tire o manto hidro-lipídico, a camada de gordura da pele.
O mecanismo de hidratação natural da pele é garantido pela capa mais externa dela, que impede a perda de líquido. Quando o corpo é exposto à água quente e aos sabonetes alcalinos, essa capa de proteção natural, chamada de lipoproteica, é removida, fazendo com que a pele perca água para o meio e desidrate.
O uso da bucha é permitido para o corpo, pois ajuda a eliminar células mortas. Mas a hidratação após a esfoliação deve ser mais cuidadosa.
Portanto, durante o banho, atenção à temperatura. A água deve ser morna, quase fria. E o banho não deve ser muito demorado. Aquele enrugamento normal que acontece na pele quando ficamos muito tempo na água indica que sua pele está desidratada. Por isso, nada de transformar seu banho em uma sauna quente, com todo aquele vapor e que demora horas.
O rosto é a região do corpo que mais sofre com os efeitos do frio, lembra a especialista. Por isso, não caia na tentação da água quente para lavar. Para o rosto, use sempre água fria. O uso de buchas ou esponjas também não é indicado para essa área tão sensível. O ideal é usar uma loção ou gel de limpeza, com ação mais profunda.
Pouca gente sabe que mais de 80% da radiação ultravioleta que atinge a nossa pele durante a vida corresponde a essa exposição do dia-a-dia. “É muito maior do que quando vamos à praia”, Por isso, engana-se quem pensa que a ausência do sol está diretamente ligada ao fim dos cuidados com proteção. Mesmo no inverno, o fotoprotetor deve ser usado todos os dias.
Por fim, não se esqueça que hidratar por dentro também é fundamental. Beber dois litros de água é uma regra a ser praticada diariamente, faça frio ou calor.

Agora que você já sabe como manter sua pele macia e hidratada mesmo nos dias frios, leia as dicas que vão fazer destes cuidados um ritual de prazer:

Delicie-se com os aromas dos sabonetes, hidratantes e óleos corporais com ingredientes naturais de frutas. E sinta na pele a maciez e suavidade desses cuidados.
Os óleos trifásicos ajudam a evitar que a pele perca água, mas não substituem os hidratantes. Porém, se você quer uma pele sedosa, macia, deliciosa, não deixe de experimentar.

É só o termômetro apontar temperaturas mais baixas que a pele começa a dar sinais de cansaço

E não pense que isso está relacionado apenas às ações diretas do clima: com a mudança de estação, os hábitos também começam a mudar. Banhos mais quentes e comidas gordurosas são os primeiros costumes adquiridos durante o inverno e, embora deliciosos, são também os que mais colaboram para uma pele menos saudável.
Os problemas mais comuns nessa época do ano estão relacionados à hidratação. Por conta de frio, vento e baixa umidade a pele tende a se tornar mais ressecada, podendo até mesmo sofrer irritações ou descamações. As partes do corpo que mais sofrem com o ressecamento são as áreas expostas, como o rosto, pescoço, colo, braços, mãos e pés. Por isso, atenção redobrada!
Para deixar sua pele saudável e protegê-la do frio, não existe segredo: a melhor forma é hidratar!
O uso de cremes tem se mostrado muito eficaz no combate ao ressecamento. Recomenda-se loções que, além de hidratantes, tenham características antiinflamatórias, evitando irritações. Também é importante não descuidar do uso do protetor solar, que deve ser aplicado duas a três vezes ao dia, depois do hidratante.
Outra alternativa é fazer um tratamento em consultório médico com a aplicação de um hidratante injetável, que aumenta a quantidade de ácido hialurônico, um açúcar natural presente no organismo que tem propriedades hidrofílicas e hidratantes.
E se além de proteger sua pele você pretende fazer algum tratamento estético, comemore: esta é a melhor época. Como a incidência do sol está menor nesses meses, a chance de que alguma complicação aconteça por causa da maior sensibilidade da pele é baixa. Por isso, investir em tratamentos com laser, luz intensa pulsada, infravermelho e peelings no inverno – a fim de firmar a pele, tratar as manchas e renovar a textura – é uma boa pedida.

Hidratação: principal cuidado com a pele no inverno

O inverno e suas conseqüências…

Substituímos o sol intenso do verão pelo clima seco, vento em excesso, mudanças bruscas de temperatura e a água quente do banho, que desitradam a pele, deixando-a ressecada.
Com a chegada do inverno, diversas doenças podem ser provocadas ou agravadas pelo frio: Gripes, sinusites, otites, rinites e asma são freqüentes nesta época do ano. A pele por sua vez, também apresenta alterações. Ressecamento, urticárias, prurido e piora das manifestações atópicas, podem aparecer neste momento.
As mudanças dos hábitos de higiene, como por exemplo a prática de banhos quentes, repetidos e demorados colaboram para um maior ressecamento da pele. Especialmente as pessoas que já apresentam pele seca, sofrem ainda mais nestas condições. Sendo assim, o cuidado principal durante o inverno, refere-se à hidratação da pele e das mucosas. Com o frio, mucosa labial pode apresentar ressecamento, fissuras, e até sangramento.

Principais problemas da pele:

– Prurido (coceira) aparece devido a uma hipersensibilidade ao frio ou como conseqüência da descamação da pele. A coceira intensa e repetida pode gerar, secundariamente, o aparecimentos de infecções por fungos ou bactérias;
– Dermatite Atópica é um exemplo comum de doença já existente e que piora com o inverno. Manchas ásperas e pruriginosas podem se tornar mais agressivas nesses meses mais frios;
– Urticária ao frio aparece como uma manifestação alérgica importante. Ela pode ser localizada ou generalizada, e desaparecer espontaneamente. Surgem pápulas, placas, ederma, eritema e prurido intenso. Edema labial e peri-orbitário estão presentes nos casos mais graves.

Hidratação – principal cuidado
A hidratação da pelo pode ser feita com cremes, loções, sabonetes e óleos apropriados. Medidas de apoio são importantes, principalmente os cuidados para não exagerar com os banhos quentes, e com o uso dos sabonetes.

Dicas para manter a pele hidratada e saudável

– Beba água, evite alimentos gordurosos e dê preferência a frutas, verduras e legumes. O ideal é que o organismo absorva 2 litros de água por dia;
– Tome banhos curtos, mantendo a temperatura fria ou morna. Não esfregue a pele e evite usar sabonete diariamente (com exceção da região axilar e genital), dê preferência a sabonetes mais suaves, como os glicerinados;
– Use toalhas macias;
– Fique atento se você freqüenta ambientes com ar condicionado – porque eles fazem com que a pele perca mais água do que o normal;
– No inverno, devido a baixas temperaturas, a exposição solar se torna mais agradável. Isso não significa que devemos nos descuidar com a proteção da pele, o uso dos protetores solares permanece necessário, pois os efeitos nocivos dos raios solares continuam existindo, recomenda-se a associação de hidratantes com filtros solares, inclusive para a proteção dos lábios;
– Use luvas de borracha quando utilizar produtos de limpeza;
– Faça exames para detectar o hipotireoidismo – a disfunção na glândula tireóide costuma ressecar a pele;
– Mulheres na menopausa têm problemas de ressecamento de pele devido ao descontrole hormonal. Neste caso, procure o ginecologista.

Nas épocas mais frias, a hidratação é fundamental, tanto para a pele quanto para o resto do corpo. Mesmo com a diminuição das temperaturas em várias regiões do Brasil, não é preciso temer o inverno. Cuidar da beleza nas épocas mais frias pode ser até mais fácil do que em outras estações. Conheça algumas medidas simples que podem manter a sua beleza durante essa época do ano.

A pele merece cuidados especiais

Se durante o verão você fica “horas” embaixo da água gelada, no inverno você não pode ficar muito tempo embaixo da água quente. O calor da água resseca a pele e exige que você hidrate a pele ainda mais. Jamais tome banho com a água quente demais, isso fará com que a pele do seu corpo fique muito sensível.
O mecanismo de hidratação natural da pele é feito pela camada mais externa dela, chamada de epiderme, que impede a perda de líquido. Essa proteção é formada por lipídeos (gorduras) e proteínas e, quando é removida pela ação de sabonetes alcalinos e água quente, pode fazer com que a pele desidrate. Juntamente com a desidratação podem surgir coceiras, vermelhidão, sensação de aspereza e até infecções na pele.
Prefira iniciar o banho com a água a uma temperatura um pouco mais fria, entre 25 e 30º Celsius. Para ativar a circulação, comece massageando o corpo de cima para baixo com a ajuda de géis de banho e óleos. Uma boa dica é utilizar esponjas bem macias na hora de massagear e um pouco sabonete. Prefira os sabonetes suaves e com fragrâncias leves, que acabam deixando a pele mais relaxada.

Hidratação sempre

Depois do banho, passe um creme hidratante no corpo, que além de hidratar vai tornar a sua pele mais bonita. Para evitar o ressecamento você pode usar dois tipos diferentes de hidratantes disponíveis no mercado: oclusivos ou umectantes.
Os cremes hidratantes oclusivos são feitos à base de vaselina, óleos ou ceras. São cremes mais densos, pesados e gordurosos. Os cremes umectantes são constituídos de substâncias mais leves e proporcionam uma capacidade maior de reter água. Em vários casos, ambos são necessários, tudo depende de onde você mora e como é o inverno na sua região. No rosto, prefira os hidratantes com filtro solar, que devem ser usados mesmo nos dias frios.

A hidratação, um dos cuidados fundamentais nas épocas mais frias, deve ser aplicada principalmente em idosos e crianças. Eles possuem uma pele mais sensível e merecem uma atenção especial.
Lembre-se sempre de ingerir muitos líquidos, mesmo no inverno. Você pode tomar sopas, chás e até água em temperatura ambiente. O corpo também precisa continuar se mantendo hidratado.

O óleo natural da pele é muito importante para proteger você do frio, da penetração na pele das bactérias, fungos, vírus, de poluentes do ar, do contato com alergenos como poeira, mofo e fibras de tecidos. Com as baixas temperaturas, as células que produzem a gordura da pele diminuem sua atividade, por isso a pele fica mais seca. Isto é agravado pelo uso de água quente e sabão, e banhos mais longos no inverno. Felizmente, com o apagão, este ano promete banhos de chuveiros mais frios e rápidos!
Devido a esta diminuição de gordura na pele, é muito comum o Prurido Hiemal, que é um prurido difuso que ocorre em pessoas idosas, ou pessoas de pele seca, ou pessoas de pele normal que nesta época fazem uso excessivo de banho quente e sabonete. É muito interessante porque às vezes o paciente acha que está com alguma alergia ou doença de pele, e apenas uma orientação sobre um banho rápido e hidratantes após banho causarão a cura destes pacientes.
Pessoas que já tiveram bronquite, asma ou rinite têm geralmente maior intolerância ao inverno, porque a pele deles já é geneticamente mais seca, então se agravará no inverno e ficará mais sujeito a coceiras, dermatites de contato alérgicas e infecções viróticas (principalmente o molusco contagioso).
No inverno, apesar da temperatura ser baixa, o ultra violeta do sol é às vezes até mais forte do que no verão, porque são dias normalmente muito claros, sem as nuvens no céu que vemos no verão e que normalmente filtram os raios solares. Um exemplo típico é de pessoas que queimam muito quando vão esquiar na neve. Para isso, é fundamental o uso de camadas fartas de filtros solares, que devem ser reaplicados durante o dia.

Alguns tratamentos para os diversos tipos de pele no inverno:

Pele seca:

Limpeza da face: Evitar sabonetes. Podem ser usados cremes de limpeza ou a própria água pura.

Manhã: Usar na face um gel de Vitamina C que tem características hidratantes antes de um filtro solar. Quase todo filtro cremoso com FPS acima de 45 tem esta característica, porque para incorporarem tão grande quantidade de química têm que ter um veículo oleoso. A própria matéria prima já é oleosa.

Noite: É sempre recomendado o uso, na face, de ácido retinóico ou glicólico na forma de creme. Nunca usar solução alcóolica que vai ressecar ainda mais. Podem ser associados hidratantes em cima desses ácidos a base de lactato de amônia, adenin (é um fito hormônio que fortalece a pele, dando-lhe maior brilho e viçosidade) e mais modernamente para mulheres na época da menopausa usamos cremes à base de isoflavona.

Oral: Em todos tipos de pele é sempre bom associar anti oxidantes orais, para prevenir o envelhecimento geral do organismo.

Corpo: Sugerimos um óleo de amêndoas ou glicerina passados no corpo todo antes do banho, de modo que a água não chegue a desengordurar totalmente a pele, protegendo-a do efeito desidratante dos sabonetes. Após o banho, completar a hidratação com cremes a base de uréia, lactato de sódio ou amônia, silicone, óleo de amêndoas etc.

Pele oleosa:

Limpeza: pode ser feita com sabonetes neutros, como de glicerina, Dove ou de criança.

Manhã: Devem sempre ser usados filtros solares não oleosos (oil free, não comedogênico ou em gel), para evitar que eles entrem dentro do poro, entupindo a glândula, não deixando o óleo natural sair, causando cravos e espinhas. Sempre antes, passar um Gel de Vitamina C, que é potente anti-oxidante e clareador da pele.

Noite: São peles muito propensas à acne, portanto mais do que em nenhum tipo de pele deve ser usado um acido retinóico, isotretinoína ou adapaleno. Como nesta época a pele fica mais ressecada, podem ser usados na forma de loção cremosa oil free ou gel. Evitar usar soluções quando a pele ainda não está acostumada. Podem ser usados também hidratantes suaves oil free a base de uréia ou lactato de amônia.

Corpo: Os banhos devem ser rápidos, o mais frio tolerável e usar sabonete só nas regiões axilares e genitais. Após o banho, usar loção cremosa hidratante leve a base de uréia, lactato de sódio ou amônia, óleo de amêndoas ou silicone.

Pele normal e mista:

Na parte central da face, deve-se usar produtos para pele oleosa e nas regiões laterais e olhos produtos para pele seca.
Crianças: Por terem a pele muito sensível, devem ser tratadas com muito cuidado, evitando-se sempre banhos longos, usando-se hidratantes naturais sem perfume e sem corantes para evitar alergia.
É comprovado cientificamente que, para a síntese de Vitamina D em crianças, é suficiente 10 minutos de sol diário, e o uso de filtros solares sempre deixam passar um pouco de ultra violeta. Por isso, bebezinhos devem ser protegidos do sol. O câncer de pele, as manchas brancas ou escuras dependem de efeito cumulativo do sol de muitos anos, e este sol em excesso que tomamos nos primeiros anos de vida são as principais causas.
Portanto, vamos hidratar e proteger do sol nossas crianças. O filtros têm que ser mais aderentes, a prova d´água e a substância química menos alergênica, para evitar dos olhos arderem e dar alergia. Atualmente são muito usadas barreiras físicas, que são produtos inertes a base de óxido de zinco e dióxido de titânio micronizado.